segunda-feira, 30 de maio de 2016

vertigens 10 e 11






vertigem 10

de pedra dourada ficaram portas
janelas de entradas e saídas
a sedução de dois olhos
em minha carne proibida

de pedra dourada ficou um café orgânico
numa manhã de domingo
do outro lado da trilha
com tanta veraCidade
que me esqueci da idade
e me apaixonei por tua filha



Artur Gomes



com os dentes cravados na memória

vertigem 11

em
são sebastião do sacramento
suas coxas em movimento
me lembram peixes sagrados
no mar que minas não tem

mãos por teus montes claros
provocam marés - atropelos
passeio de língua entre pelos
em outras partes também
lábios de mel abissal
peixe espada noutro mar - prometeus
desejos despindo teus seios
teus dentes cravados nos meus

a lua por sobre a capela
a luz em tua alma - donzela
afrodite  - uma  caça indefesa
presa - em minhas unhas de zeus


Federico Baudelaire

Nenhum comentário:

Postar um comentário