sexta-feira, 1 de julho de 2016

o alvo do poeta é a meta



o alvo do poeta é a meta

nem  todo poema curto
nem todo endereço acerto
a meta do poeta é o alvo
o alvo do poeta é a meta
a flecha estendida no arco
o arco estendido na seta
eu quero teus olhos de vidro
não poema em linha reta

nem toda cidade prova
nem todo poema povo
a clara da gema nova
pode estar  dentro do ovo
a massa e o biscoito fino
o biscoito fino pra massa
o Dia D da fornalha
acende a fogueira na praça

Artur Gomes




Brazilírica Pereira: A Traição das Metáforas
                 
a norma do congresso
 engana
o discurso é falso no ato
a pressa do congresso é gana
lava grana lava jato





EU

eu não sou eu eu sou a outra
maltrapilha mal vestida
nunca tenho muita roupa
nos quatro cantos da casa
sempre estou em qualquer canto
eu sou na filha da mãe
não sou a filha de santo
me conhecer não vale a pena
meu presente me absorve
meu passado me condena


Federika Lispector

Nenhum comentário:

Postar um comentário